Extremamente cativantes, cães da raça Shiba Inu são muito ativos, ágeis e vivem cheios de energia. Por se tratar de uma raça autoconfiante, os Shiba possuem tendência a demonstrar comportamentos dominantes e serem bastante apegados ao seu território – podendo estranhar a presença de desconhecidos e apresentando características nem sempre muito sociáveis. 

Entretanto, são ótimos cães de companhia, uma vez que seu temperamento fiel e superprotetor garante muita lealdade ao tutor. É comum que sejam confundidos esteticamente com a raça Akita, mas explicamos neste artigo todas as diferenças e elencamos tudo o que você precisa saber sobre essa raça japonesa que, não à toa, vem conquistando admiradores no mundo todo.

Histórico do Shiba Inu

O Shiba Inu é um cão nativo do Japão e, provavelmente, é a raça de cachorro mais antiga do país asiático. Das seis raças existentes de cães nativos japoneses, a menor é o Shiba. 

Quanto ao seu nome, existem algumas teorias: uma é de que o nome Shiba surgiu como referência ao seu tamanho pequeno, ou “cão pequeno”. No entanto, Shiba também pode significar “mato”, em referência às árvores brilhantes vermelhas japonesas, simbolismo relacionado à pelagem vermelha da raça – e que relembra seus bons dotes caçadores, devido a camuflagem. De qualquer forma, os Shibas são cães de porte pequeno, apelidados de “cão do mato vermelho”. 

A origem da raça não é bem definida, mas foram datados pela primeira vez por volta do ano 300 a.C. como um cão de caça na região central do Japão. Apesar de terem sido usados principalmente para apanhar pássaros e pequenos animais, foram usados ocasionalmente para caçar javalis. 

Antigamente, havia ligeiras diferenças na raça, de acordo com os lugares onde eram criados. Houveram três tipos principais da Shiba e cada um foi nomeado a partir da área de origem: o Shinshu Shiba (Nagano), o Mino Shiba (Gifu), e o Sanin Shiba (nordeste do continente asiático).

Como as raças Setters Ingleses e Pointers Ingleses foram importados da Inglaterra para o Japão entre 1868 e 1912, a caça tornou-se um esporte no país asiático, e acasalamentos entre Shibas e cães ingleses passou a ser recorrente. Portanto, um cão puramente da raça Shiba tornou-se algo raro. Sendo assim, na época, caçadores e outras pessoas mais cultas preocupavam-se com a preservação do puro Shiba, e a preservação criteriosa de um número limitado de linhagens desses cães começou. Na tentativa de salvar o Shiba Inu, os diferentes tipos de cães foram cruzaram, tanto os cães mais pesados de regiões montanhosas com os cães mais leve de outras regiões. Como resultado, o Shiba sobreviveu como uma raça, com alguma variação na substância óssea.  

Após a Segunda Guerra Mundial, a raça quase foi extinta novamente, e depois em 1952, quase desapareceu por conta da cinomose. Mas devido aos cruzamentos entre os diferentes tipos, sobreviveram e chegaram à raça que conhecemos hoje.

Reconhecimento

Os primeiros Shibas chegaram aos Estados Unidos em 1954. Porém, o American Kennel Club reconheceu a raça apenas em 1993. A raça manteve o mesmo nome, que em sua etimologia se refere a algo “pequeno”. Desde então, a popularidade do cãozinho tomou força e tem conquistado muitos admiradores mundo afora. 

De acordo com a Confederação Brasileira de Cinofilia (ciência de estudo dos cães), o Shiba Inu é considerado um cachorro do grupo 5, isto é, faz parte do grupo de cães do tipo Spitz e tipo Primitivo.

Função da raça

Mesmo hoje sendo cães domesticados e se enquadrando como ótimos cães de companhia, o histórico dos Shibas foi todo estruturado em função da caça de animais, o que faz com que o cão precise de um constante nível de atividades e exercícios no dia a dia com seus tutores. Não são os cães mais enérgicos do mundo, porém precisam passear, brincar e se manter entretidos com frequência.

Além do mais, por serem proveniente do grupo de raças primitivas, os Shibas não são os cães ideais quando o assunto é paciência – e podem apresentar um temperamento conflitante em lares que têm crianças pequenas. É preciso bastante atenção e presença por parte do tutor para que o cachorro se desenvolva da forma mais adequada ao lar. 

Energia

Os cães da raça Shiba Inu são ativos e superprotetores, mas isso não impede que também sejam cãezinhos mais calmos e domesticados. Isso varia de acordo com a rotina diária de exercícios e os hábitos de cada animal. Com bastante agilidade e energia, também possui boa estrutura óssea e músculos bem desenvolvidos. 

Como a função da raça foi desenvolvida historicamente através da caça de pequenos animais, o Shiba gosta muito de aventuras e pode ter instintos de perseguição com alguns bichos pequenos, o que pode gerar problemas com outros pets. Portanto, é preciso bastante atenção para a socialização com outros bichos. 

Características físicas

Os Shibas são considerados cães de pequeno porte, com proporções bem balanceadas, de boa ossatura com músculos bem desenvolvidos de ação rápida, livre e bonita. 

A aparência do cãozinho Shiba lembra a das raposas, e sua resistência é uma característica forte da espécie. Com extrema habilidade, cumpria a função de cão de caça dos animais menores e podia chegar a pontos de mais difícil acesso em montanhas para essas tarefas. Há casos de Shibas que caçavam não só pequenos animais, como também javalis. 

Muitos alegam que o Shiba Inu lembra a raça Akita, e mesmo ambas as raças sendo provenientes do território japonês, a diferença é bem clara: o Shiba é bem menor que o Akita. Os formatos da orelha e do rosto de ambas as raças também são diferentes: o rosto do Shiba apresenta formato mais arredondado e proporcional, enquanto o do Akita é mais achatado, com olhos, focinho e boca mais centralizados. 

Quando o assunto é tamanho, o dimorfismo sexual faz com que os machos apresentem tamanhos um pouco maiores que as fêmeas. Os Shibas machos chegam a ter, em média, 40 cm, enquanto as fêmeas chegam a ter 36,5 cm. Durante a vida adulta, o peso médio varia entre 9 e 14 kg. A expectativa de vida fica entre 12 e 15 anos.

Possuem uma testa larga e pelos de cobertura áspera e reta, com subpelo macio e denso; já os pelos da cauda são ligeiramente longos e levantados. Os olhos são relativamente pequenos e triangulares, de cor marrom escuro. As orelhinhas também são pequenas e triangulares, com uma leve inclinação para frente. O focinho é moderadamente grosso e afilado. 

As cores dos Shibas variam entre o vermelho, sésamo, preto sésamo, vermelho sésamo e preto e castanho (conhecido também como “black and tan”). Quando falamos de sésamo no assunto pelagem queremos dizer uma boa mistura de pelos pretos, vermelhos e brancos, num geral. Porém:

  • Um cão Shiba com pelagem sésamo preto tem mais pelos pretos que brancos.  
  • Um cão Shiba com pelagem sésamo vermelho tem como a cor básica do pelo o vermelho, misturado com outros pelos pretos.

Entretanto, Shibas de todas as cores acima mencionadas devem uma característica chamada de “URAJIRO”, que são pelos esbranquiçados nas laterais do focinho, nas bochechas, abaixo da mandíbula e do queixo, no peito e estômago, na parte inferior da cauda e na parte interna das pernas. É bem característico da raça e deixa a aparência do Shiba ainda mais fofinha.

Cuidados especiais

Por ter uma pelagem dupla, o cachorro Shiba Inu precisa de alguns cuidados básicos. É recomendado que o cãozinho Shiba seja escovado uma ou duas vezes por semana. E atenção às trocas de pelo: neste período, a escovação deve ser realizada com maior frequência.  

No geral, a raça é muito limpinha. Assim como os gatos, eles fazem a própria limpeza e se preocupam bastante em não se sujar. Portanto, os Shibas precisam de banhos somente em casos de extrema necessidade, até porque eles possuem uma impermeabilidade própria que pode ser afetada quando molhada muitas vezes. Procure manter os ouvidos sempre limpos, pois o acúmulo de cera e outras impurezas pode provocar infecções.

Geralmente, a raça apresenta poucos problemas de saúde, mas é importante que seja levado ao veterinário de tempos em tempos para avaliações de rotina. Certifique-se também de conhecer bem os criadores responsáveis pelo filhote e pelos pais.

Mas, assim como acontece com outros cãezinhos, o Shiba Inu também pode ter alguns probleminhas ao longo da vida. Alguns cachorros têm predisposição a doenças oculares, como o glaucoma, que pode causar cegueira. Complicações nas articulações, como a luxação patelar, provoca dores e pode comprometer a mobilidade do animal. Alguns cães também enfrentam a displasia do quadril, uma doença hereditária provocada pela má formação das articulações que pode apresentar outras dificuldades, como a artrite.  

Uma alimentação balanceada é fundamental para uma boa qualidade de vida de cães desta raça. Portanto, antes de escolher a ração, consulte um especialista. Ele vai determinar a quantidade correta de proteínas e o valor nutricional e calórico das refeições do seu cachorro. Isso vai ajudar a manter um desenvolvimento saudável e feliz do seu cãozinho. 

Comportamento

  O Shiba Inu é um cãozinho de temperamento fiel, seus sentidos são aguçados e, por isso, é normal que o cão fique sempre em alerta. São conhecidos por serem bastante independentes e leais aos seus donos – por isso, têm chamado muita atenção de quem procura por um novo companheiro. 

Por se tratar de uma raça autoconfiante, os Shibas tendem a ser obstinados e dominantes, com forte apego ao território, estranhando desconhecidos e apresentando resistência na sociabilidade com outros cães. Podem ser perfeitos cães de “guarda”, por serem territorialistas e ativos.

Por outro lado, o Shiba é um cachorro que tem uma energia considerável e adora brincar, se adaptando super bem à rotina de famílias com crianças, por exemplo. Porém, é importante evitar situações que possam mexer com a possessividade do bichinho, como brincar com o cão enquanto ele estiver comendo. Embora seja um momento fofinho, o temperamento do Shiba está atrelado à sua independência. 

No geral, embora o Shiba seja reservado com desconhecidos, ele é um cão muito carinhoso com o tutor e a família. É fundamental que o dono entenda que apesar de muito inteligente, o adestramento do Shiba Inu pode ser um pouco difícil: o cão é conhecido por ser um tanto teimoso. Há um equilíbrio entre o bom-humor e espírito brincalhão, com tendências mais individualistas e possessividade.

Devido à tendência de serem mais apegados aos seus tutores, um fator considerável no comportamento dos Shibas é que eles podem sofrer de ansiedade por separação caso o dono se ausente com frequência ou o cãozinho fique muito tempo sozinho.  Por isso, caso esteja pensando em incluir um Shiba na rotina da sua casa, certifique-se de que será possível dar a atenção necessária que o cachorro precisa.

Características comportamentais do cachorro da raça Shiba Inu

Curiosidades

Para quem pensa em ter um Shiba Inu filhote como novo integrante da família, é importante levar em consideração que não se trata de um cão tão fácil de ser treinado. Por ser independente, é um cãozinho desconfiado e sensível a punições – caso reaja mal a elas, pode sentir medo facilmente. Isso pode levar o cão a desenvolver um comportamento agressivo não desejado. Sendo assim, caso tenha algum problema comportamental, o ideal é chamar um profissional. 

O cãozinho Shiba não necessita da atenção constante do tutor, mas é muito importante que ele receba bastante carinho, para criar laços e lealdade com os membros da família, ainda mais nas atividades agitadas. Ele é bastante amigável com as crianças e adultos da casa. A convivência com outros animais da residência pode ser muito boa quando a socialização acontece desde filhote. Quanto aos pets desconhecidos, ele tende a ser um pouco agressivo, principalmente com espécies menores.

Assim como outros cachorros, é importante que os filhotes passem por um processo de socialização com os humanos e com outros animais. É uma forma de adaptar o bichinho à rotina da família e ao espaço onde ele vai ficar. Caso você receba muitas visitas, é recomendável preservar o espaço do cãozinho por conta do instinto territorialista. No começo ele pode estranhar bastante quem não conhece, portanto, faça com que o pet se acostume com pessoas mais próximas, e deixe claro que os desconhecidos não oferecem perigo.


Agora que esclarecemos tudo o que você precisa saber sobre os Shibas, não nos surpreenderíamos caso você tenha se apaixonado pela raça. Fofos e independentes, o Shiba Inu é mesmo uma raça cativante – são cães com quem seus tutores podem sempre contar.  Caso tenha alguma dúvida sobre a raça ou queira orientações do nosso time de veterinários e comportamentalistas, nós te ajudamos! Contate a GoApp através do nosso WhatsApp (11) 95250-3604 que a gente te atende o mais rápido possível. Até mais!

Sobre

Nathalia e um paciente

Nathália é veterinária e, como boa profissional da área, é completamente apaixonada por bichos. É especializada em tratamento intensivo e internação de animais domésticos. Teve bichos sua vida inteira e hoje divide apartamento com duas gatinhas bem peculiares.