Como já falamos antes, problemas urinários em gatos são um dos principais motivos que faz com que tutores de gatinhos precisem recorrer aos seus médicos veterinários. As doenças do trato urinário prejudicam a qualidade de vida dos nossos filhos de quatro patas e, além de causarem dor, podem afetar de maneira permanente órgãos importantes como os rins. O maior causador dessas doenças é um hábito comum entre os bichanos: a baixa ingestão de água.

O trato urinário é usualmente um ambiente estéril, com exceção da parte mais externa da uretra, que apresenta micro-organismos residentes. São eles que vão “proteger” o sistema urinário de micro-organismos invasores. A criação de um ambiente favorável para contaminação se dá graças às alterações dos mecanismos de defesa do hospedeiro (ex. estresse, baixa de imunidade, mudança brusca de alimentação, etc.) e a presença de fatores de virulência bacterianos que as tornam mais aptas ao parasitismo.

A bexiga urinária e/ou a porção superior da uretra podem ser invadidas e colonizadas por bactérias, o que resulta em uma infecção conhecida como Infecção do Trato Urinário (ITU). Os sintomas incluem inflamação do tecido afetado e dificuldades urinárias. Problemas urinários em gatos podem se manifestar em bichinhos de todas as idades, mas a vulnerabilidade aumenta quando o animal é mais velho (comum em gatos com 10 anos ou mais). Nesses casos, a formação de cálculos, doenças da próstata e tumores são observados com frequência.

Sintomas de problemas urinários em gatos

  • Dificuldade em urinar;
  • Sangue na urina (hematúria);
  • Urina turva ou com mau cheiro;
  • Micção frequente, mas em pequenas quantidades;
  • Incontinência urinária, especialmente durante o confinamento ou em locais que não são habituais (ou seja, locais que seu gato nunca fez xixi antes);
  • Micção quando a bexiga é tocada (ocasional).

Causas

A parte mais externa da uretra tem uma microbiota própria, que coloniza aquela parte e acaba servindo de “proteção” para que outros micro-organismos não se proliferem ali, e acabem alcançando o trato urinário. Por alguma alteração de pH da região (pode ficar mais ácida ou básica) essa microbiota residente morre, abrindo espaço para a invasora. Às vezes, a contaminação também pode vir de um agente mais forte (mais virulento), que pode se proliferar com condições não favoráveis. 

Essa mudança de pH pode se dar por vário motivos, como o estresse, alguma outra doença que prejudique o sistema imune desse gato, mudança de alimentação, baixa ingestão de água, um novo gato na casa, uma nova pessoa na casa, ou muitas outras coisas. Conforme já explicamos antes, gatos são animais extremamente sensíveis às condições ambientas e podem ficar fisicamente doentes por conta de estresse.

Normalmente, a contaminação por se dá por um desses três tipos de bactéria: E. coli, Staphylococcus e Proteus spp.. Elas são responsáveis ​​por mais da metade de todos os casos de infecções bacterianas do trato urinário inferior. As bactérias menos comuns incluem Streptococcus, Klebsiella, Enterobacter, Pseudomonas e Corynebacterium spp.

Diagnóstico

Você precisará fornecer um histórico completo da saúde do seu gato ao veterinário, incluindo o período em que se iniciaram os sintomas e quais foram eles. É importante lembrar que gatos são animais vaidosos e demoram a demonstrar sintomas; geralmente, quando o tutor percebe os sinais da doença, esta já está em um estado mais avançado. É importante acompanhar de perto o comportamento do seu felino.

Seu gatinho irá passar por um exame físico completo, incluindo exame de sangue (hemograma e enzimas bioquímicas), de urina e provavelmente algum exame de imagem (ultrassonografia ou raio-x, a depender das suspeitas do seu veterinário).

Embora os resultados do hemograma possam mostrar pouca alteração e as enzimas bioquímicas apresentem alterações esperadas de enzimas renais, são os achados da análise de urina que fornecerão as informações mais valiosas para o diagnóstico. Por exemplo, uma amostra de urina retirada diretamente da bexiga com seringa, é cultivada para que se identifique as bactérias causadoras. Uma vez que a bactéria é identificada, seu veterinário vai receitar um antibiótico específico para o tratamento. 

Tratamento

A maioria dos gatos se recupera sem complicações com a administração dos antibióticos apropriados. No entanto, é importante identificar o problema rapidamente, pois essas formas de infecções do trato urinário inferior podem chegar aos rins, coração e outras áreas, resultando em complicações mais graves.

Além dos antibióticos e anti-inflamatórios, podem ser prescritas medicações de suporte caso seu bichano esteja apresentando febre (que normalmente vem com a infecção), falta de apetite ou vômito. É normal também que o seu veterinário prescreva medicações protetoras para o estômago e fígado, já que seu gato vai precisar da medicação por algum tempo. Antibióticos e anti-inflamatórios são agressivos para a mucosa gástrica, e gatos podem desenvolver até úlceras estomacais sem a medicação de proteção. 

Vida e Gestão de um gatinho com problemas urinários

O prognóstico (resultado do tratamento) vai depender não só do animal, mas também do tempo que demorou para esse animal ser socorrido. Também é essencial que o tratamento seja feito corretamente. A maioria dos gatos requer pouco mais que antibióticos para resolver a infecção.

Nos casos de infecções graves e complicadas com obstruções (não são apenas cálculos que podem obstruir seu gatinho, uma uretra inflamada pode ficar inchada a ponto de não ter saída de urina), pode ser necessária uma intervenção cirúrgica. Mudanças na dieta também podem ser implementadas para evitar futuros episódios (existem alimentações específicas para gatos com tratos urinários sensíveis). 

O horário e a frequência das medicações recomendadas pelo veterinário devem ser seguidos a risca. Além disso, não pare ou altere o tratamento sem consultar previamente o seu veterinário. Se o tratamento antibiótico a longo prazo for recomendado, observe o seu gato quanto a efeitos adversos, como alergias, e ligue imediatamente para o seu veterinário se notar alguma mudança no comportamento dele não relacionado a problemas urinários. 

Para se certificar que seu gatinho está livre desse problema, seu veterinário vai marcar uma consulta de retorno para fazer mais alguns exames. As culturas de urina são realizadas em uma média de 7 a 10 dias após o fim do tratamento. Se a infecção ainda estiver presente, pode ser necessário manter o uso do antibiótico por mais tempo ou alterar o antibiótico.

Um grande erro dos tutores é notar que o animal melhorou e suspender a medicação. Não faça isso; a melhora não significa que a bactéria invasora foi eliminada por completo. Um dos grandes problemas em não concluir um tratamento ou não seguir as prescrições de horários e medicação é que a bactéria pode ser tornar resistente à medicação.

Nesse caso, será necessário o uso de um antibiótico mais forte ou por um tempo muito maior do que o desejado. E o uso de drogas fortes por tempo prolongado é muito penoso para o organismo, já que toda a biotransformação dos fármacos pode sobrecarregar os órgãos do seu gatinho e gerar outros problemas.

Depois de tudo isso, pode ser que seu veterinário sugira algumas mudanças permanentes na vida desse gatinho para prevenir alguma infecção futura. A primeira coisa que mudamos é a alimentação, principalmente para animais mais velhos. Embora a ingestão de proteína seja muito importante, uma dieta mais balanceada pode ser a chave para a longevidade. Existem rações terapêuticas para tratar problemas urinários em gatos. 

Outra coisa que provavelmente será observada é a ingestão de água do seu bichano. Como sabemos, gatos tendem a ser bem exigentes em relação a sua água (que deve estar sempre limpa e fresca). Algumas mudanças podem ser necessárias; o uso de fontes/bebedouros pode ajudar, assim como a ração úmida (essa geralmente é a maneira mais fácil de fazer seu gatinho ingerir mais líquido). 


Sempre acompanhe de perto seu felino e recorra ao seu veterinário caso você note qualquer mudança de comportamento. Tenha certeza de que seu gatinho está ingerindo uma alimentação balanceada e adequada para o seu momento de vida e, assim, você conseguirá evitar muitos problemas de saúde. Por fim, não se esqueça de sempre oferecer água limpa e fresca para o seu bichano.

E você, já teve que lidar com problemas urinários em gatos? Teve que adaptar o estilo de vida do seu gatinho para evitar esses problemas? Conte para a gente marcando @goappbr nas redes sociais. Se precisar de qualquer coisa (ração, medicamento e afins), é só mandar uma mensagem para (11) 95250-3604 que o nosso time te atende. Oferecemos entrega grátis e no mesmo dia em mais de 25 cidades no Brasil 🙂

Sobre

Nathalia e um paciente

Nathália é veterinária e, como boa profissional da área, é completamente apaixonada por bichos. É especializada em tratamento intensivo e internação de animais domésticos. Teve bichos sua vida inteira e hoje divide apartamento com duas gatinhas bem peculiares.