Viajar com seu cachorro costuma não ser uma tarefa fácil: programar uma viagem que seja apropriada e confortável tanto para o tutor quanto para o bichinho exige bastante programação. Afinal, nossos cães precisam ser transportados com segurança, precisam de entretenimento nos passeios e, por fim, precisam de um local de hospedagem que também possa recebê-los. 

Seja porque você não quer deixar seu cão sozinho por muito tempo ou porque quer que ele faça parte das suas viagens, você vai ter que se planejar para poder incluir seu amigo de quatro patas nessa aventura. E é por isso que preparamos este guia de viagem com cachorros para te ajudar com tudo o que você precisa saber. Vamos lá?

Antes de tudo: é uma boa ideia viajar com meu cachorro?

Refletir acerca dessa questão é uma tarefa necessária antes de você começar a se organizar para embarcar com o seu cachorro. Algumas perguntas importantes que você deve responder antes de tomar essa decisão são:

  1. O transporte até o destino da viagem será confortável e seguro para o seu animal?
  2. O local da sua estadia pode promover um espaço adequado para o seu bichinho? 
  3. O clima do destino da viagem é apropriado para o seu cachorro? 
  4. O seu cãozinho é socializado?
  5. Se necessário, seu cachorro vai ficar bem se precisar ficar sozinho?

Para te ajudar a responder essas perguntas, chamamos a educadora canina Cristiane Evelin (@criscanina no Instagram), especializada em educação para filhotes e experiente em viagens com seu companheiro (ou cãopanheiro?) Juba. Ela explica que o primeiro ponto a ser analisado deve ser a socialização do animal. “Se for um cachorro nervoso, reativo a outras pessoas, cães e barulhos, provavelmente a viagem não será boa nem para o tutor, que não vai conseguir aproveitar a viagem como gostaria, nem para o cão, que estará em ambientes diferentes, com barulhos diferentes, em lugares diferentes, com pessoas diferentes… E provavelmente não poderá estar junto de seu tutor na maioria dos lugares”.

A educadora canina Cristiane Evelin é especializada em educação para filhotes e experiente em viagens com seu companheiro Juba. (Foto: Reprodução/Instagram @CrisCanina)

Em seguida, pense na rotina do seu animal e na rotina que ele terá durante a viagem. “É uma rotina a qual ele vai se adaptar facilmente? Se eu levar meu cachorro para essa viagem, estarei dando bons momentos para ele? Ou ele só ficará ansioso com isso?”, indaga Cris. Cachorros são animais que gostam de previsibilidade, e se o seu cão não está acostumado com viagens, todas essas novidades podem gerar ansiedade e uma experiência ruim.

Dessa forma, em alguns casos, a melhor opção pode ser buscar por parentes ou amigos que possam receber seu cão, ou mesmo serviços de hotéis para animais ou pet sitting. Busque recomendações de profissionais de confiança e também se planeje com antecedência caso essa seja a sua escolha. A melhor saída é sempre pensar no bem-estar do seu cachorro, combinado? 

Decidi levar meu cão. E agora?

Antes de partir, é essencial que você cumpra alguns passos para garantir a segurança e o bem-estar do seu cachorrinho. Abaixo, vamos listar todos os itens necessários a serem cumpridos para que você viaje com tranquilidade:

  • Check-up: antes de tudo, você precisa levar seu cãozinho numa consulta veterinária para se certificar de que a saúde dele está em dia. Aqui também é a hora de pedir indicações para o seu veterinário sobre medicamentos que podem ser necessários (ex. se o seu cãozinho costuma enjoar no carro, ou apresenta alergias de pele com frequência, tenha certeza de que você está levando esses medicamentos).
  • Transporte: você precisa manter seu cão seguro durante a viagem, tanto no transporte quanto na hospedagem. Seu cachorro vai viajar dentro da caixa de transporte? Possui cinto de segurança próprio para pets? O meio de transporte acomoda bem o seu pet? Você vai poder fazer paradas para o seu cãozinho ir ao banheiro, se necessário? A hospedagem permite que seu bichinho circule livremente? 
  • Programação: certamente, você precisará adaptar seu roteiro de viagem para incluir atividades em que seu cãozinho possa te acompanhar, mapeando desde restaurantes pet friendly até passeios ao ar livre. Não adianta levar seu cãozinho se ele não vai poder te acompanhar na programação, não é mesmo?
No roteiro de viagem, são necessárias atividades ao ar livre que seja possível se divertir com o seu cãozinho, como praia, cachoeira ou uma trilha. E levar brinquedos pode tornar o passeio ainda mais divertido! (Foto: Reprodução/GoApp.pet)
  • Mala pet: realize um checklist da mala do seu bichinho. Ele precisará de ração, latinhas ou sachês, comedouros, garrafas d’água, petiscos, coleira, brinquedos, tapetinho higiênico, produtos de limpeza, remédios… E a lista pode ser bem grandinha dependendo das necessidades específicas do seu cachorrinho.
  • Emergências: realize um mapeamento de petshops e hospitais veterinários próximos à região da viagem, para garantir que você estará preparado caso haja algum acidente e seu cãozinho precise de suporte veterinário.

Neste guia, estaremos abordando todos os pontos citados acima, um por um. Pode parecer trabalhoso – e é – se preparar uma viagem com cachorro, mas os momentos incríveis que vocês podem curtir juntos certamente irão compensar.

Meio de transporte

Avião 

É o meio de transporte com mais requerimentos e, por esse motivo, requer ainda mais planejamento. Seu cão precisa atender às exigências da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e apresentar atestado médico veterinário, carteira de vacinação completa e caixas de transporte de tamanhos adequados. Para que o seu cão não sofra com estresse durante a viagem, certifique-se de contratar um profissional com antecedência para realizar treinos e adaptações com a caixa de transporte.

As exigências para este tipo de transporte são várias, e também variam bastante de acordo com cada companhia aérea. Esteja atento ao limite de peso imposto por cada companhia. Como o assunto é longo, vamos deixar esse tema para outro artigo e continuar detalhando outros meios de transporte, ok? Fique de olho em nosso blog!

Ônibus

Viajar de ônibus com seu cãozinho pode ser uma opção para quem não tem um carro à disposição, porém é necessário avaliar se essa viagem não irá prejudicar o bem-estar do seu animal. O transporte coletivo geralmente não permite paradas extras, o que pode tornar a experiência mais difícil para tutor e cachorro. 

Além disso, as viagens de ônibus também contam com outras várias limitações. Por exemplo, a maioria das empresas de ônibus só aceitam transporte de animais com peso até 10kg. Assim como nas viagens de avião, as caixas de transporte também são obrigatórias, e isso demanda treino e adaptação para tornar a viagem menos estressante para o seu bichinho.

A documentação necessária para viajar (ex. carteira de vacinação ou atestado veterinário) varia muito dependendo de algumas circunstâncias. Algumas regras sobre transporte de animais em ônibus variam não somente de estado para estado, como também de viação para viação. Portanto, consulte as leis estaduais sobre transporte de animais em ônibus e se comunique também com a viação na qual você pretende viajar com antecedência.

Carro

Viagens de carro são ótimas opções (talvez as melhores) na hora de viajar com o seu pet, já que você pode parar quando precisar para, por exemplo, deixar seu cãozinho ir ao banheiro, oferecer água ou apenas esticar as pernas. Você também consegue adaptar seu cãozinho ao carro, fazendo treinos mais curtos com ele antes de partir para a viagem de verdade.

Porém, na hora de planejar uma viagem de carro com cachorro, é preciso pensar em alguns pontos importantes. Assim como qualquer ser humano, cães também precisam viajar de forma segura e adequada em carros. Seja com caixa de transporte, com peitoral e cinto de segurança ou capas protetoras de bancos, escolha a opção mais adequada para o seu cachorro e nunca viaje com ele “solto” no carro. Além de ser perigoso para ele e contra a lei, a distração pode atrapalhar sua direção e causar acidentes. 

Cinto de segurança e peitoral são itens essenciais para realizar uma viagem com cachorro segura em carros. (Foto: Reprodução/Kong)

Caso você esteja em dúvida de como transportar seu cãozinho, a educadora canina Cris Canina indica que caixas de transporte são a melhor opção: “Eu considero a caixa de transporte a forma mais segura de transportar um cão – tanto para o cachorro quanto para o motorista”, conta.

Entretanto, a preparação e habituação do animal à caixa de transporte é essencial para evitar desconfortos durante a viagem. “Antes de pensar em transportar um cão numa caixa de transporte por conta da segurança, você tem que pensar se o cão é habituado a estar dentro da caixa de transporte ou não”, explica. “Se não for feito um treinamento prévio com habituação à caixa de transporte, a melhor opção pode ser levar o cão no banco traseiro com peitoral e cinto de segurança próprio”.

Quanto antes você começar a treinar seu cachorro, melhor: “Um ou dois meses antes, pelo menos. Experimente ir habituando seu cão a andar de carro, simulando o ambiente e a experiência da viagem dentro da caixa de transporte. Observe também se o seu cachorro enjoa quando anda de carro, se ele baba, se ele treme… Essas reações fisiológicas indicam que a viagem não está sendo agradável para o cão, e nesses casos eu indico uma preparação prévia de pelo menos 3 meses”, conta Cris. 

Em todos os casos, é indicado o uso de brinquedos de enriquecimento alimentar para amenizar possíveis desconfortos na viagem, mantendo seu cão ativo e entretido. Ofereça, por exemplo, chifres ou cascos bovinos durante a viagem, ou também brinquedos recheados com alimentação úmida. Essas opções são ótimas ferramentas para ajudar a manter o seu cachorro mais relaxado durante todo o trajeto, e também garantem que seu cão não ingira grandes quantidades de comida. 

Além disso, paradas são essenciais – tanto para humanos quanto para cães! Nelas, experimente passear rapidamente com o animal, forneça água mineral fresca e garanta que está tudo bem com o seu bichinho. Tente seguir a rotina de banheiro do seu cão (ex. pare com mais frequência se o seu cachorrinho costuma urinar muitas vezes ao dia). Depois, é só seguir a viagem com mais tranquilidade.

Durante as viagens, nas paradas ou sempre que possível, ofereça água fresca para o seu cachorrinho. (Foto: Reprodução/Canva)

Carona

Viajar de carona também é uma possibilidade para tutores e seus cães! Aplicativos como o BlaBlaCar, por exemplo, disponibilizam a possibilidade de motoristas aceitarem viagens em que caroneiros levam os seus bichinhos e combinem as condições de viagem dentro da própria plataforma com o motorista.

De qualquer forma, os padrões de segurança para viagem com cachorros em carros permanecem: utilize caixas de transporte, quando possível, ou um peitoral com cinto de segurança. Leve consigo também uma mala com todos os pertences do seu cãozinho e, é claro, cuide do seu bichinho durante todo o trajeto, tornando a viagem agradável não só para o animal e para o tutor, mas também para o motorista e outros possíveis caroneiros.

Preparando seu cão para viajar de carro

Habituar seu cachorro à caixa de transporte é a dica número 1 quando o assunto é preparação para a viagem de carro. “A primeira adaptação é treinar seu cão para amar a caixinha de transporte”, conta Cris. Faça pequenas viagens testes antes de uma grande viagem – mesmo que seja somente a simulação de um trajeto. Observe como seu amigo reage, e procure amenizar todos os desconfortos que surgirem.

Uma boa dica é associar o carro a uma coisa boa e divertida, oferecendo por exemplo algum petisco ou mordedor natural ao entrar no veículo, ou sempre levar seu cachorro de carro para algum parque ou passeio que o animal goste bastante. Dessa forma, andar de carro vira uma associação positiva para o seu bichinho!

Além disso, durante o período de preparação e até mesmo fora do carro, deixe a caixinha de transporte em um local de fácil visualização e acesso para o animal. Experimente oferecer petiscos dentro da caixinha, ou coloque também um cobertor, brinquedo ou roupas do tutor dentro da caixa de transporte – estimulando a associação positiva naquele espaço. Assim, o cachorro se sente mais confortável, como se a caixa de transporte fosse parte da rotina dele.

Caso seu animal não se adapte à caixinha de transporte, opte pelo peitoral com cinto de segurança, ou então pela capa de segurança e protetora de bancos. Essas outras opções também são boas para garantir a segurança e o conforto do seu bichinho durante a viagem. Só evite transportar o seu cachorro livre pelo carro, seja no banco traseiro ou do passageiro: o cachorro transitando livremente pelo veículo pode ser prejudicial tanto para o tutor e motorista quanto para o animal. 

Roteiro de viagem e passeios

Quanto o assunto é viagem com cachorro, acredite: planejamento é tudo. E, de preferência, um planejamento prévio completinho, que inclua treinos, adaptações, e também um roteiro de viagem que abrace também a estadia e as necessidades do seu cãozinho, com passeios que seu cachorro possa curtir e locais pet friendly para visitarem juntos. Vamos às dicas?

Alimentação

É importante ressaltar que, idealmente, você deve manter a rotina alimentar do seu cãozinho durante a viagem. Busque oferecer os mesmos alimentos nos mesmos horários (ração, oferta de petiscos, brinquedos recheados)… Quanto menos mudanças, melhor! 

Quanto à alimentação do seu cãozinho durante a viagem, o ideal é manter a rotina de horários e adaptar as quantidades conforme o gasto energético do animal durante os passeios. (Foto: Reprodução/Kong)

Entretanto, é importante avaliar a quantidade de alimento. Sobre isso, Cris ressalta: “O gasto de energia de cães em viagens geralmente é muito alto, então eu sempre sugiro levar porções a mais de comida”. Uma outra dica boa dada pela educadora canina é oferecer a própria ração do seu cachorro durante os treinos. Assim, você entretém, diverte, alimenta e ensina seu cãozinho.

Hospedagem

Este tópico é super delicado e demanda bastante atenção dos tutores. Antes de tudo, pense no que o seu cão está habituado: ele vive livre em uma casa com grandes espaços para transitar ou está habituado a ficar confinado em apartamentos? Esse fator é o mais importante na hora de escolher o espaço em que o tutor e o pet ficarão hospedados. A ideia para que todos curtam a hospedagem é não fugir muito do que o seu bichinho está acostumado.

Hospedagens pet-friendly comumente oferecem espaços abertos de interação, ótimos para passeio ou brincadeiras ao ar livre com pets. (Foto: Reprodução/GoApp.pet)

Na hora de decidir o local de hospedagem, pesquise bastante e procure por opções pet-friendly. Porém, sempre questione as informações escritas nas descrições das hospedagens e certifique-se de entrar em contato com o hotel, a pousada ou o proprietário da locação antes de efetuar a reserva: algumas hospedagens, mesmo que anunciem que aceitam animais, muitas vezes não estão preparadas para recebê-los ou aceitam somente animais de pequeno porte. “Questione se, de fato, seu cachorro será bem aceito naquele local, principalmente quando se trata de cães de médio e grande porte”, ressalta Cris.

Da mesma forma, garanta que o espaço seja seguro e apropriado para animais: confira, por exemplo, a existência de grades de segurança, telas de proteção e espaços abertos e de livre circulação para seu cachorro poder passear se necessário.

E se meu cachorro sofre com ansiedade por separação?

A caixa de transporte volta a ser importante aqui. Ela pode ser uma ferramenta essencial para evitar ansiedade por separação caso o seu cãozinho esteja acostumado e confortável com a caixinha: quando o tutor for sair e deixar o cão no hotel, pousada ou hospedagem, ofereça brinquedos recheados ou petiscos na caixinha de transporte. O cheiro e familiaridade com aquele espaço ameniza o desconhecimento do ambiente da hospedagem. “Por isso, eu sempre friso a importância de treinar o cão antecipadamente às viagens, podendo habituá-lo não somente ao carro mas também à caixa de transporte”, explica Cris. 

A caixinha de transporte é uma grande aliada do tutor e do bem-estar do seu cãozinho durante as viagens. (Foto: Reprodução/Kong)

Para evitar a ansiedade por separação, aposte também em recompensas e associações positivas, como petiscos, brinquedinhos e recheáveis como o Kong. “Pode abusar do enriquecimento ambiental, como brinquedos recheáveis, ou esconder ração no ambiente que o cachorro vai ficar, para estimular seu olfato e mantê-lo entretido. Outra opção é colocar uma música calma durante a sua saída”, explica a educadora canina.

Procure cansar o cão (sem desrespeitar seus limites!) antes de você sair, com brincadeiras, passeios e momentos de diversão e agitação. Assim, ele estará mais relaxado quando você sair e sofrerá menos com sua ausência. Já, entretanto, se o cãozinho sofrer muito com ansiedade por separação, provavelmente ele terá que acompanhar seu tutor em todos os lugares e o roteiro deverá ser adaptado tanto para humanos quanto para pets, combinado?

Passeios

Na hora de pensar em passeios e locais para ir com seu cachorro, a mesma lógica deve ser aplicada: com o que o cão está habituado? Onde ele se sentiria à vontade e curtiria o passeio? Prefira passeios ao ar livre como trilhas, cachoeiras, hotéis fazenda e até mesmo praias que aceitam pets.

Na hora de organizar o roteiro de uma viagem com cachorro, inclua diversas opções pet-friendly para se divertir com o seu cãozinho. (Foto: Reprodução/Canva)

A mesma dica sobre se certificar se os locais a serem visitados são, de fato, pet-friendly se mantém. Seja em restaurantes, museus, shoppings, parques, clubes… Ligue para o estabelecimento ou pergunte para pessoas que já frequentaram os espaços que você planeja ir, e não se esqueça também de consultar avaliações disponíveis online para conferir a experiência de outros visitantes. 

Na praia com meu cachorro

“Antes de ir à praia com cachorros, a primeira coisa que se tem que pensar é se aquela praia é um ambiente que aceita cães. A gente precisa também respeitar as pessoas que estão nesse espaço, e a melhor fonte de pesquisa é sair perguntando, questionando em comunidades de pessoas que têm cães e viajam se aquela praia é um espaço legal para levar seu cachorro”, explica Cris Canina.

Outro fator para se pensar antes de levar seu cãozinho à praia é a segurança. Existem ferramentas que auxiliam o passeio do seu pet na praia, como guias longas de até 15 metros que proporcionam ao seu cão liberdade e ao tutor segurança e controle.

Passear com seu cachorro na praia pode ser super prazeroso, mas alguns cuidados são necessários para garantir a segurança e o bem-estar do seu bichinho. (Foto: Reprodução/Canva)

Por outro lado, é preciso redobrar a atenção com o sol e com o calor. É essencial, por exemplo, levar um protetor solar canino para aplicar em cima do focinho do seu bichinho – sim, cães também precisam de protetor solar! – e se certificar de oferecer água fresca e limpa frequentemente ao seu bichinho.

Também garanta que seu cão tenha um espaço com sombra para relaxar e água fresca sempre à disposição. “Os cães se cansam muito nesses ambientes, então é importante respeitar o tempo de descanso do cão”, conta a educadora. “Você pode também oferecer coisas de praia, como água de coco ou o próprio coco verde para seu cachorro destrinchar e ficar em atividade na praia”.

A educadora canina destaca também a importância dos cuidados específicos com cães braquicefálicos, como as raças Shih Tzu, Pug, Boxer e Buldogue. “Se o seu cão é um cachorro de focinho achatado, do grupo dos braquicefálicos, é preciso redobrar a atenção na temperatura do seu cãozinho, pois eles costumam sofrer com dificuldades de respiração e podem superaquecer muito rápido”, conta. 

Cães braquicefálicos (como as raças Shih Tzu, Pug, Boxer e Buldogue) necessitam de cuidados especiais na praia ou no verão, uma vez que sofrem mais com o calor. É necessário atenção! (Foto: Reprodução/Canva)

Nestes casos, além de seguir as recomendações acima, atente-se à cor da língua do seu bichinho: ela deve estar sempre avermelhada ou rosada. Caso seu cãozinho esteja ofegante ou com a língua em tons azulados, é um sinal de superaquecimento, ou exaustão pelo calor. É um problema que pode levar seu pet a condições graves de saúde. Leve imediatamente o seu cão para um local ventilado, com ar condicionado ou para um mergulho. Disponibilize, também, água gelada ou panos e toalhas úmidas para seu cãozinho se refrescar. Atente-se aos sintomas e tome precauções!

Pet Shops e Hospitais Veterinários

Por último, mas não menos importante, faça um mapeamento de pet shops e hospitais veterinários na região em que estarão viajando, para casos de urgências. Liste endereços, números de telefone e certifique-se de que os estabelecimentos atendem emergências. Prevenir é sempre melhor que remediar, não é mesmo?

Checklist de viagem com cachorro: tudo o que você precisa levar

Assim como nós precisamos levar diversos itens para nossas viagens, a mesma coisa acontece com o seu cãozinho! Não só pensando no bem-estar mas também na segurança do animal, lembre-se de separar uma mala com tudo o que seu cão precisa durante a viagem.

Abaixo, preparamos um checklist com itens essenciais para levar na viagem. Confira:

Seguindo todas essas dicas, você e seu cãozinho estão prontos para curtirem uma viagem pra lá de incrível, com toda a segurança e planejamento necessários para realizar uma viagem com cachorro. Depois da programação, vem a curtição, e nós da GoApp.pet desejamos que vocês curtam muito a viagem de vocês! Se tiverem qualquer dúvida ou precisarem de qualquer produto ou atendimento especializado, é só nos chamar pelo WhatsApp (11) 95250-3604 que a gente te ajuda, tá certo?

Desejamos a você e seu cãozinho uma ótima viagem! <3

Sobre

Fernanda é jornalista e escreve sobre bichos e direitos animais desde 2018. É apaixonada por literatura, fotografia, adora ir à praia e não vive sem seus 3 gatos: Vagner, Olívia e Nina. Também é mãe da Lola, uma maltês de 8 aninhos, e da Quindim, uma bebê akita. Nas horas livres, assiste a vídeos engraçados de gatinhos.