Os mamíferos são conhecidos por passarem seus anticorpos para os filhotes através amamentação e, por isso, todos os filhotes de cães e gatos devem passar pelo desmame adequado (cerca de 45 dias de vida). Esse processo é muito importante para a saúde e o desenvolvimento dos filhotes. Além disso, o contato com o corpo da mãe e dos irmãos (quando existem) ajuda o filhote a manter sua temperatura corpórea. As lambidas da mãe o mantém limpo e também estimulam seus sistemas urinário e digestivo. 

Infelizmente, às vezes nos pegamos tendo que tomar todos esses cuidados no lugar da mãe. Esse filhote pode ter vindo de um resgate, a fêmea pode não ter leite ou ter rejeitado esse filhote. O filhote recém nascido de cão ou gato é considerado órfão se não tiver sua mãe ou outra fêmea para cuidar dele. Se você resgatou um filhotinho recém nascido de cão ou gato e precisa cuidar dele, preste atenção nos pontos a seguir.

Veterinário

A primeira coisa a ser feita com um animal resgatado sempre é o levar ao veterinário. O profissional vai poder te dizer se esse animal apresenta alguma complicação (feridas, pulgas e etc.) e vai te orientar sobre cuidados básicos importantes com filhotes órfãos. Caso o filhote esteja “bem”, vai caber a você fazer o papel de “mamãe” daqui para frente. 

Alimentação 

Para alimentar seu filhotinho, compre um substituto do leite materno. São fórmulas balanceadas que vão dar o apoio nutricional necessário para esse recém nascido (é como se fosse um leite em pó). Preste atenção nas instruções de uso do rótulo; você provavelmente vai precisar aquecer um pouco d’água para misturar à fórmula. Também é importante ter uma mamadeira própria para pets para servir a fórmula. 

Recomendamos que o filhote seja alimentado até seis vezes ao dia com essa misturinha morna até a 6ª semana. A quantidade vai depender do tamanho do filhote, e por isso é sempre bom estar sendo acompanhado pelo veterinário. Mantenha esse filhote sempre de barriga para baixo quando for o alimentar; não caia na tentação de o segurar como um “filhote” humano. O leite pode acabar entrando na via errada e até “afogar” esse pequenino.

A alimentação sólida deve começar a ser introduzida por volta dos 30 dias de vida. Escolha a ração de filhotes e comece a amolecendo com água. É só deixar a ração no pote com um pouquinho de água antes de a oferecer ao seu bichinho. Os grãos vão absorver essa água e ficarão mais fáceis de mastigar.

Caso prefira, você ainda pode amassar essa ração nas primeiras vezes. Por volta dos 45 dias, o ideal é que esse filhote já esteja comendo a ração pura. Como ele não terá mamado o colostro (primeiro leite que a fêmea produz, rico em anticorpos), esse filhote é muito mais suscetível a doenças. Não se esqueça de escolher a ração adequada para a fase de vida do seu bichinho.  

Temperatura

Como o filhote não terá a mãe para o manter aquecido, você precisará manter a temperatura desse filhote. Use uma bolsa térmica ou mesmo luvas descartáveis com água quente dentro. Nunca coloque um objeto quente demais em contato direto com o filhote. O ideal é colocar a compressa de água quente enrolada em uma toalha ou por baixo de um tapete higiênico.

Caso você more em um lugar naturalmente frio,  já deve ter ouvido falar de tapete térmico para cães. Com isso, é só ajustar a temperatura e deixar ligado na tomada. Esse filhote precisará manter uma temperatura de 36° a 37°C. Após a 4ª semana de vida (1 mês), ele já é capaz de manter sua temperatura sozinho. Caso ele chore a noite quando você retirar o aquecimento mecânico, vale colocar uma luvinha quente com ele. Assim, seu filhote vai achar que não está sozinho.

Estímulos

Você já deve ter percebido que as fêmeas lambem os filhotes com muita frequência nas primeiras semanas. Filhotes de cães e gatos nascem sem andar, ver ou ouvir, e todos os outros sistemas também estão se desenvolvendo, como o digestivo e urinário. Nos quinze primeiros dias de vida, o filhote só evacua ou urina quando estimulado pela mãe, que lambe a sua região anogenital (ânus e genital).

A mãe provoca os reflexos de urinar e defecar (e ela ingere sistematicamente tudo). Relaxa, você não vai precisar lamber o filhote, mas vai precisar estimulá-lo. Com uma gaze, pano, ou algodão você vai limpar as partes íntimas desse filhotinho. O processo pode levar alguns minutos, então tenha paciência. 

Faça uma “massagem” nesse filhote. Comece na barriga, do peito em direção as pernas. Coloque o filhote de barriga para cima para facilitar o seu trabalho. Perca alguns minutos fazendo isso e depois vá para a limpeza da região das fezes e urina. Perto dos dezesseis dias de vida, o reflexo anogenital deixa de existir e o filhote já urina e defeca por conta própria, não sendo mais necessária a ajuda da mãe (e nem a sua).  

Outros problemas

É normal que animais resgatados venham com infestação de pulgas. Lembre-se sempre que qualquer medicação deve ser prescrita por um veterinário. Como estamos falando de um recém nascido, o cuidado é ainda maior. E depois de 45 dias de noites mal dormidas para dar de mamá e massagens para ajudar o filhote a fazer caquinha, esse animalzinho já vai estar preparado para os cuidados normais como vermifugação e a vacinação. 

Caso você queira saber agora como cuidar desse filhote nessa segunda etapa, veja nossos artigos sobre:

Adotou um filhote de gato? Saiba como cuidar do seu novo gatinho

Comprou ou adotou um filhote de cachorro? Esse guia é para você.

Resgatou um filhote recentemente? Marque @goappbr nas redes sociais, pois queremos ver essa fofura!

Sobre

Nathália é veterinária e, como boa profissional da área, é completamente apaixonada por bichos. É especializada em tratamento intensivo e internação de animais domésticos. Teve bichos sua vida inteira e hoje divide apartamento com duas gatinhas bem peculiares.